quinta-feira, 30 de abril de 2009

MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA INVASIVA

PRESSÃO ARTERIAL

Princípios de funcionamento (sistema electrónico de monitorização por coluna de liquido).
As variações pulsáteis de pressão detectadas na extremidade do cateter intravascular são transmitidas através de linhas preenchidas por liquido a um transdutor munido de um diafragma sensível à pressão. O movimento ciclíco induzido pela variação de pressão é convertida em sinal eléctrico de baixa voltagem, que por sua vez, é amplificado pelo monitor de forma a converter-se em registo contínuo e curva de pressão no visor/osciloscópio. Assim as pressões sistólicas, diastólicas e médias são medidas em mmHg e quantificadas no monitor.

Componentes do sistema de monitorização invasiva

- Cateter intravascular e sistema de linhas de compliance baixo (rígidas);
-Transdutor de pressão;
-Monitor/amplificador;
-Sistema de “flush”/infusor

Nivelamento do transdutor de pressão - Consiste na colocação do transdutor de pressão e da extremidade do cateter vascular no mesmo plano vertical.

Referências para o nivelamento - O ponto do cateter para avaliação de pressão arterial (assim como o da pressão venosa central e do cateter de Swan-Ganz) está colocado a nível do coração, correspondendo ao ponto torácico abaixo do ângulo de Louis, ou eixo flebostático ou seja, quando o sistema é nivelado abaixo deste ponto, o peso da coluna de liquido adiciona cerca de 2 mmHg ao valor real de pressão vascular ou cardíaco por cada 2cm de variação. Este processo acontece exactamente o inverso quando o sistema é nivelado acima do ponto médio torácico,

Fazer o equilíbrio do sistema ou “fazer zero” - Este processo tem como objectivo eliminar o efeito de pressão atmosférica no transdutor, colocando o sistema de monitorização num registo de pressão neutral para iniciar o registo de pressão

Factor que podem interferir na correcta avaliação da pressão arterial (distorção do formato da curva arterial)

-Vários factores dentro do vaso arterial;

-Problemas na interface hidráulica/electrónica do transdutor;

-Problemas nas conexões, extensões e tubos do sistema;

-Alteração na elasticidade da parede arterial;

-Reflectância da forma da curva de pressão das paredes dos vasos ou tubos;

-Pequenas bolhas de ar na coluna de liquido ao longo do sistema,

-Pequenos trombos em volta ou dentro do cateter;

-Extensão e rigidez dos tubos plásticos.

Ou seja podemos dizer que a simples inspecção do formato da curva pode ajudar a detectar o problema.

Complicações dos cateteres arteriais:

- Formação de hematoma;

- Hemorragias;

- Trombose arterial;

- Embolização próximal ou distal;

- Pseudo-aneurisma;

- Infecção.

1 comentário:

Tabanika disse...

oias... tens prémio à tua espera no meu blog, copia a imagem e coloca-a no teu espaço.... cuida-te